embrace me, you: the finest art is not only true love, but how deep can you see it.

apenas outro dia.

a superficialidade me corrói a alma.
ela está no meu mostrar mais profundo.
não mostro.

está em todos os lugares, por ai:
falas
gestos
modo de andar
e o que comprar.
assim vai a vida e chega a morte para muitos.

me minto.
pulo em cima de minha bagagem
não quero que ela se feche.
ela não quer.
ela grita e me derruba
no fim do dia.

as pistas vem e vão.
minhas lágrimas se tornaram tímidas demais.
as colocar para fora é
dar área ao julgamento de outrem.
mas porque não às coisas reais
do fundo da caixa
do sentimento puro?

tenho caminhado demais.
achei no chão
as peças que
me foram destinadas.
tornei-me eu.

o mundo continua sujo
e lindo.
porque ainda vejo os dois?

quebro a cabeça
a possibilidade máxima é a felicidade
– ainda que não como um fim, mas como um meio.
é tangível.
mas de qual material é feita essa barreira
que segura as pessoas do lado de lá?
quebro a cabeça
como derrubá-lo?
aqui é tudo lindo.

One thought on “embrace me, you: the finest art is not only true love, but how deep can you see it.

Leave a Reply

Your email address will not be published.