laetitia.

qualquer coisa em demasiado
faz mal.
eis a lei de ouro.

mas o equilibrio
lhe protege.
apenas lhe protege.

quando queremos o intenso
o surreal
transcendente.
aquilo que você não sabe dizer o que é
mas come seu corpo inteiro
e tudo está em chamas.
tudo brilha
e há vida na vida.
da-se vida à vida.

aí, o equilibrio não nos serve.
a dor que venha.
imploro por ela.

a intensidade em seu pico
é maravilhosa.

One thought on “laetitia.

  1. Talvez (1)

    “Talvez não ser, é ser sem quem tu sejas,
    sem que vás cortando o meio com uma flor azul (2),
    sem que caminhes mais tarde pela névoa e pelos tijolos,
    sem essa luz que levas na mão que, talvez,
    outros não verão dourada,
    que talvez ninguém soube que crescia como a origem vermelha da rosa, sem que sejas, enfim,
    sem que viesses bruscas, incitante conhecer a minha vida, rajada de roseira,
    trigo de vento,
    e desde então és sou e somos
    por amor serei…serás…seremos”

Leave a Reply

Your email address will not be published.