vidros.

Assim como castelos de areia, eventualmente somos levados.

Você foi o amor da minha vida por três vezes.
Num eterno agora, penso que sempre será.

Talvez eu seja um copo de vinho esperando para ser quebrado durante uma briga.

Não há razão que caiba em afastamentos ou aproximações. Deixamos o divino cuidar disso.

De um lar barulhento, espera-se que meu conforto sejam os cacos de vidro voando no espaço aéreo entre meus afetos. E isso não se doa a ninguém, e em última análise, eu gostaria de ter colocado mais rosas para sorrisos derramados em cima de minha melancolia escondida.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *